• Tatiane Aires

84% DAS EMPRESAS NÃO SABEM GERIR OS DADOS DO CONSUMIDOR

Esse número é um absurdo, não? Mas, é exatamente isso!

...

84% das empresas Brasileiras não fazem o devido gerenciamento dos dados do consumidor. Qual o problema?

...

As organizações ainda não têm a consciência de que os dados pertencem ao indivíduo e não à empresa!

....

Quando o assunto for a inclusão de informações sobre um consumidor no banco de dados de alguns dos serviços de proteção ao crédito é importante observar algumas regras básicas:

....

A primeira delas é ser dever da empresa que presta tais serviços informar ao consumidor, por escrito, sobre sua inclusão no banco de dados, dando-lhe a oportunidade para se manifestar. Nesse sentido, se o consumidor encontrar algum erro, o mesmo deverá ser corrigido.

....

Outra obrigação dos serviços de proteção ao crédito é a de retirar o nome do consumidor, após a quitação ou a prescrição dos débitos.

...

Lado outro, as empresas varejistas que detêm informações cadastrais acerca dos seus clientes, também devem respeitar os dados do consumidor.

....

Para que essa empresa possa divulgar as informações cadastrais de seus consumidores para outras, será necessária a autorização expressa dos consumidores constantes naqueles cadastros.

....

E mais! É proibida a divulgação de informações negativas acerca de atos praticados por consumidores na defesa de seus direitos, por exemplo, mediante o Procon ou em ações judiciais.

...

E o problema só piora: a Lei de Proteção de Dados, quanto ao descarte e tratamento dos dados pessoais, promete entrar em vigor em 2020.

....

E o que as empresas têm feito para estar em conformidade com o regramento público, as normatividades do CDC quanto ao banco de dados do consumidor, e adotar a política da lei de proteção de dados?

...

84% das empresas brasileiras se mantêm omissas e sucumbindo-se ao pagamento de multas administrativas, enxame de ações judiciais, e prejuízo à credibilidade institucional.

...

Em razão das negativas consequências institucionais, é imperioso perceber que há oportunidade de vincular a privacidade à estratégia de negócio e se diferenciar no mercado, estabelecendo relações de confiança com os seus consumidores.